O que a sua empresa tem a ver com a obrigatoriedade da Nota Fiscal do Consumidor eletrônica?

Ultimamente você deve estar sendo “bombardeado” com tantas explicações sobre a NFC-e em Minas Gerais, não é verdade? É muita explicação para um assunto não tão complexo, mas que pode confundir um pouco. Mas essa mudança vai ser muito boa para todas as partes, tanto os lojistas quanto o consumidor final.

 

A melhor forma de explicar é dando um exemplo, então veja só:

Você fez uma venda em seu comércio para o seu cliente, seu consumidor final. Ao receber o pagamento você emite o cupom fiscal para ele. Não é isso? Pois então, esse processo que está em mudança (mudança essa que começou em Minas Gerais no final de 2018 e vai seguir até 2020).

 

Com as alterações, ao invés de emitir e imprimir o cupom fiscal, você vai emitir a NFC-e. E você pode imprimi-la ou não, em uma impressora comum. A outra opção é salvar a nota fiscal do consumidor em PDF e enviar para o e-mail do seu cliente, ou por SMS, ou até mesmo no whatsapp. E agora você deve estar se perguntando: Qual o motivo dessa mudança?

 

O motivo é que o fisco está sempre atualizando a legislação para melhorar o monitoramento das transações comerciais, agilizar e facilitar o acesso às informações tributárias de cada empresa. A NFC-e visa oferecer uma nova alternativa, totalmente eletrônica, para os atuais documentos fiscais em papel utilizados no varejo (cupom fiscal emitido por ECF e nota fiscal modelo 2 de venda ao consumidor), reduzindo assim custos de obrigações acessórias aos contribuintes, ao mesmo tempo que possibilita o aprimoramento do controle fiscal pelas Administrações Tributárias.

 

Quais são as principais vantagens da NFC-e?

Economia
Dispensa do uso do Emissor de Cupom Fiscal e da intervenção técnica.

Permite a utilização de qualquer impressora não fiscal, sem necessidade de autorização pela SEF.

Redução significativa dos gastos com papel.

 

Agilidade
Transmissão em tempo real ou on-line da NFC-e.

Não há necessidade de autorização prévia do equipamento a ser utilizado.

 

Flexibilidade
Flexibilidade de expansão de pontos de vendas nos períodos de alto movimento do comércio, sem necessidade de autorização prévia do Fisco.

 

Inovação
Possibilidade de uso de novas tecnologias de mobilidade (emissão em tablet e smartphones).

Integração de plataformas de vendas físicas e virtuais.

 

Qual será o prazo para sua empresa começar a emitir a NFC-e?

Conforme o perfil de cada estabelecimento, a renda bruta anual, há uma data limite para que ela implemente a NFC-e, em substituição ao cupom fiscal.

 

No dia 1º de novembro deste ano foi publicada a Resolução nº 5.313, que apresenta algumas mudanças nas datas que já estavam estabelecidas pela legislação. Veja:

 

I – 1º de março de 2019, para os contribuintes que se inscreverem no Cadastro de Contribuintes deste Estado a contar da referida data.

II – 1º de abril de 2019, para os contribuintes:

  1. a) enquadrados no código 4731-8/00 da Classificação Nacional de Atividades Econômicas – CNAE – (comércio varejista de combustíveis para veículos automotores);
  2. b) cuja receita bruta anual auferida no ano-base 2018 seja superior ao montante de R$100.000.000,00 (cem milhões de reais).

III – 1º de julho de 2019, para os contribuintes cuja receita bruta anual auferida no ano-base 2018 seja superior ao montante de R$15.000.000,00 (quinze milhões de reais), até o limite de R$100.000.000,00 (cem milhões de reais).

IV – 1º de outubro de 2019, para os contribuintes cuja receita bruta anual auferida no ano-base 2018 seja superior ao montante de R$ 4.500.000,00 (quatro milhões e quinhentos mil reais), até o máximo de R$15.000.000,00 (quinze milhões de reais).

Novas datas:

V – 1º de fevereiro de 2020, para os contribuintes cuja receita bruta anual, auferida no ano-base 2018, seja superior ou igual ao montante de R$ 1.000.000,00 (um milhão de reais), até o máximo de R$ 4.500.000,00 (quatro milhões e quinhentos mil reais).

VI – 1º de junho de 2020, para os contribuintes cuja receita bruta anual, auferida no ano-base 2018, superior ou igual ao montante de R$ 500.000,00 (quinhentos mil reais), até o máximo de R$ 1.000.000,00 (um milhão de reais).

VII – 1º de setembro de 2020, para os contribuintes cuja receita bruta anual auferida no ano-base 2018, seja superior ou igual ao montante de R$ 120.000,00 (cento e vinte mil reais), até o limite de R$ 500.000,00 (quinhentos mil reais).

VIII –  Contribuintes que estiverem enquadrados como microempresa, ou seja, empresas que tenham receita bruta anual igual ou inferior a R$ 120.000,00, ficam dispensados da emissão da NFC-e. Mas, caso a empresa ultrapasse esse valor, a emissão da nota será obrigatória no prazo de 60 dias contados.

 

O que devo fazer para realizar essa mudança na minha empresa?

A Sefaz aumentou o prazo para a implementação, mas não deixe para realizar na última hora. A implantação da NFC-e é um processo minucioso, então comece a transição o mais breve possível.

Essa mudança altera todo o processo da operação de venda e emissão de nota fiscal. Com a NFC-e as operações passam a ser totalmente virtuais, exigindo assim um bom software, que atenda todas as suas necessidades e também um treinamento de toda a equipe que trabalha no setor.

Compreendeu a mudança que tanto é falada ultimamente? Ficou alguma dúvida? Já quer saber como é o passo a passo para realizar essa mudança na sua empresa?

Entre em contato com a Explend. Nós já fizemos essa mudança em diversas empresas, e temos o conhecimento necessário para te ajudar nessa mudança da forma mais prática possível.

É só clicar aqui que um de nossos consultores entrará em contato para dar todas as explicações e instruções sem compromisso.

Whatsapp ~> (34) 98833-9702
Ou ligue: (34) 3293-0101 / 0800 940 8900 e agende uma demonstração gratuita.
Caso prefera pode mandar um e-mail para andersonjunior@explend.com.br
Nos siga no Facebook para mais dicas ~> www.facebook.com/ExplendSolucoes/

A hora da cobrança é um momento muito delicado, difícil de ser feito as vezes, porém é uma prática necessária. Inadimplência pode trazer vários problemas no caixa de uma empresa, por isso hoje vamos trazer algumas dicas para te ajudar a realizar uma cobrança de maneira amigável e responsável.

Antes de saber o que devemos fazer, primeiro precisamos saber o que não podemos fazer, e para isso temos que ter conhecimento sobre a lei Nº 8.078 do CDC (Código de Defesa do Consumidor), o não cumprimento dessa lei pode acarretar em medidas administrativas e até penais.

No que se refere à cobrança, o CDC diz assim no artigo 42: “Na cobrança de débitos, o consumidor inadimplente não será exposto a ridículo, nem será submetido a qualquer tipo de constrangimento ou ameaça”. Caso a empresa venha a descumprir esse artigo pode ser submetida a multa, cassação de licença e até mesmo suspensão de atividades.

Mas não podemos esquecer do artigo 71 que é o mais importante, que fala: “utilizar, na cobrança de dívidas, de ameaça, coação, constrangimento físico ou moral, afirmações falsas incorretas ou enganosas ou de qualquer outro procedimento que exponha o consumidor, injustificadamente, a ridículo ou interfira com seu trabalho, descanso ou lazer” pode resultar em “detenção de três meses a um ano e multa”.

De toda forma, igualmente em todos os casos, o juiz é quem vai definir se houve ou não a violação do artigo, afinal o que quer dizer expor o consumidor ao ridículo ou submetê-lo a um constrangimento? Essa parte deixa várias dúvidas por ser algo ambíguo, porém com os históricos de casos já acontecidos no Brasil fica mais fácil criar um entendimento consensual do que pode e o que não pode na hora de cobrar o cliente.

Agora que sabemos o que não podemos fazer na hora da cobrança, vamos ver o que podemos fazer e como podemos fazer.

Respeito

Pode parecer óbvio, mas é válido ressaltar que em todo momento do contato você deve ser cortês e respeitar o seu cliente, não o acusar e tentar mantê-lo calmo, até mesmo para que ele ouça o que você tem a dizer e não desligue na sua cara. Não se esqueça do artigo 71, constrangimento pode trazer alguns processos para a sua empresa.

Cadastro Completo

Mantenha um cadastro organizado para que você possa identificar facilmente os clientes devedores e os bons pagadores, você pode tomar ações para diferentes perfis. E claro não se esqueça dos dados de contatos, quanto mais formas de contatar o seu cliente melhor é para a cobrança, uma dúvida comum é se podemos ligar para a empresa do cliente para efetuar a cobrança, e a resposta é sim, podemos ligar se o mesmo nos informou esse telefone para contato no momento do cadastro.

Prepare-se

Antes de entrar em contato para efetuar a cobrança, levante todo o histórico do seu cliente, identifique exatamente os títulos que estão em abertos, qual foi a origem da compra, os valores exatos e datas de vencimento, de preferência tenha em mãos até os próximos títulos a vencer, para que no momento da ligação você tenha segurança e mais opções de renegociação, que é a nossa próxima dica.

Renegociação

O cobrador precisa conhecer algumas técnicas de negociação, isso vai ajudar muito no momento da cobrança, uma estratégia é tentar receber o máximo possível em um primeiro momento e parcelar o restante para que fique mais fácil a quitação do débito. Uma outra estratégia adotada pelos cobradores é perguntar “qual a sua proposta? ”, assim você vai entender a situação do seu cliente e vai facilitar a negociação. Deixe claro para ele que você está tentando ajudar e não simplesmente querendo receber a todo custo.

Lembretes

Enviar um aviso prévio alertando sobre o vencimento de um título pode evitar um erro comum cometido pelos clientes que é não pagar por conta de esquecimento, como é só um aviso o cliente não terá aquela resistência que acontece em um contato de cobrança.

Mantenha a Calma

Ser cortês e educado não quer dizer que você deve deixar o cliente fazer o que quiser no contato, é muito comum o cliente reagir de forma agressiva ao ser confrontado com uma simples cobrança, nesse momento mantenha a calma e ofereça soluções que favorecem os dois lados.

Facilite o Pagamento

E por fim ofereça para o seu cliente várias formas de pagamentos para facilitar o pagamento do débito, pode ser que o cliente não tenha dinheiro naquela hora, então enviar um boleto por e-mail é um exemplo de como ajudá-lo e você não ficar sem receber, outras formas são aceitar cheques e várias bandeiras de cartão de crédito ou débito.

Essas são algumas dicas para você diminuir a inadimplência da sua empresa, e é claro que com um sistema de gestão facilitaria muito o seu trabalho, principalmente o ExplendGE que já possui um módulo específico para cobrança além da régua de cobrança que faz o disparo automático de emails de aviso de vencimento ou de cobrança, vou deixar o link aqui embaixo para você conferir os nossos recursos.

Site ~> https://tinyurl.com/ErpExplend
Whatsapp ~> (34) 98833-9702
Ou ligue: (34) 3293-0101 / 0800 940 8900 e agende uma demonstração gratuita.
Caso preferir pode mandar um email para andersonjunior@explend.com.br
Nos siga no Facebook para mais dicas ~> https://www.facebook.com/ExplendSolucoes/

 

Perdeu nossa última dica?
Confira aqui: Conheça alguns métodos para aplicação de metas

Agora que você já sabe as vantagens de se usar o boleto bancário, vou te contar mais uma funcionalidade desse recurso que é o arquivo de retorno.

O arquivo de retorno é um arquivo em formato de texto emitido pelo próprio banco com informações das movimentações ocorridas no dia/semana/mês anterior, pode conter liquidações, confirmações do registro, cancelamentos, baixas e etc.

Com esse arquivo de retorno o sistema de gestão da Explend consegue efetuar as baixas automáticas dos títulos que foram pagos, trazendo assim uma maior agilidade para o setor financeiro da empresa, pois não é necessário entrar no sistema do banco, conferir os títulos e fazer a baixa manual de cada título individualmente, com o arquivo o sistema consegue efetuar a baixa de todos de uma só vez. Além de garantir a produtividade, esse tipo de conciliação permite melhor controle sobre o fluxo financeiro da sua empresa.

Então se você hoje utiliza boleto bancário e não utiliza o arquivo de retorno entre em contato com o nosso suporte que vamos te orientar nesse procedimento, lembrando que só é possível utilizar esse recurso se você já emite boleto pelo sistema da Explend, então se você não possui o módulo de boleto clique no link abaixo que o seu consultor entrará em contato.

Espero ter esclarecido algumas dúvidas sobre o arquivo de retorno e caso ainda não conheça nosso sistema acesse nosso site e fique por dentro dessa nova maneira de gerir uma empresa.

https://materiais.explend.com.br/sistema-de-gestao-empresarial

Você sabia que é possível emitir boletos bancários pelo próprio sistema da Explend?

A utilização do boleto bancário é muito comum pelas empresas nos dias de hoje, seja no ambiente físico ou virtual, sendo no virtual muito mais fácil de encontrar essa forma de pagamento, e cada vez mais sendo utilizado no ambiente físico também.

O ganho de tempo ao emitir o boleto pelo próprio sistema de gestão é absurdamente grande, porque você já possui os dados cadastrais do seu cliente, a venda já foi feita e a forma de pagamento já definida, então basta um clique para que seja emitido o boleto, isso sem a necessidade de ter que replicar o cadastro do cliente no sistema bancário e fazer a emissão do boleto manualmente tendo que informar novamente todas as informações de emissão do boleto, como os valores, carteira, vencimento, parcelas e etc.

Além disso, com essa modalidade de cobrança conseguimos ter as seguintes vantagens:

Segurança

Além de o boleto ser um documento físico onde o cliente e o emissor possuem os seus comprovantes, nessa modalidade não é preciso que o consumidor informe seus dados bancários, trazendo assim mais segurança pro mesmo. Nas vendas online é comum usar essa modalidade pelo fato de que às vezes os consumidores não possuem cartão de crédito ou débito.

Desconto

Nessa modalidade de cobrança é comum as empresas oferecem descontos de até 10% dependendo da compra, pois as outras formas de pagamento como cartão por exemplo possui taxas altas e além disso podem demorar até 30 dias para repassar o dinheiro as empresas o que acaba interferindo bastante no giro de capital da empresa.

Facilidade de Pagamento

Hoje em dia não é preciso mais pegar longas filas para efetuar a quitação de um boleto, o pagamento pode ser feito em bancos, correspondentes bancários, lotéricas e até em aplicativos de pagamento ou Internet Banking, sendo assim o pagador nem precisa sair de casa se não quiser.

Espero ter esclarecido algumas dúvidas sobre o boleto bancário e caso ainda não conheça nosso sistema acesse nosso site e fique por dentro dessa nova maneira de gerir uma empresa.

https://materiais.explend.com.br/sistema-de-gestao-empresarial

Está na hora de você PARAR DE VEZ DE ERRAR com a sua empresa.
Se você está encarando o mercado como um empresário ou empresária, e como resultado já está acostumado com os desafios de gerenciar uma empresa, você está lendo o texto certo!

Como empresário você não pode se acostumar com os ERROS!

Sabemos que para gerenciar não é preciso de um milagre mas sim de constante aprendizado. Mais importante ainda, são as boas dicas, elas são sempre bem vindas para quem deseja ter sucesso como um gestor empresarial.
Nós estudamos algumas empresas e identificamos alguns erros em comum que fizeram essas empresas perderem a estabilidade e vamos apresentar a você para que pare agora de cometer esses erros ou nem comece a cometê-los.
Vamos aos pontos:

 

“Finanças”

Jamais confunda os seus gastos pessoais com os gastos da empresa. Investimentos para a empresa devem ser tão controlados como os gastos que você faz para você mesmo.
Dica: Separe as contas empresariais e as contas pessoais, separe elas em cartões separados. Caso não utilize cartão para as despesas, guarde todos os recibos e notas fiscais em caixas separadas. Ao final do mês contabilize tudo de forma separada. Como resultado, você saberá onde as contas estão se concentrando e terá maior controle financeiro seu e da sua empresa.

 

“Controle seu estoque”

Para você produzir  ou comercializar é necessário que você tenha conhecimento pleno do que se tem e o que se pode vender. Comprar matérias primas mais caras apenas para produzir o seu produto, porque você não tinha mais no estoque pode ser o começo de um erro mortal. Separamos aqui um artigo que pode te ajudar bastante: Como fazer um bom controle de estoque.

 

“Registre suas vendas”

Você sabe dizer agora quanto sua empresa vendeu esse mês? Se você não respondeu essa pergunta com um SIM, repense. Se não sabe o quanto vendeu como pode continuar gastando dinheiro, como sabe se as contas serão realmente pagas?
Treinar os funcionários para que eles possam ajudar na análise de vendas é uma ótima opção. Veja aqui algumas técnicas infalíveis de controle de vendas e metas.

 

“Reserva”

Crie uma reserva financeira para sua empresa. Desde o início da empresa procure economizar e guardar um pouco para eventuais necessidades.
Dica: Concentre-se em todo os meses destinar uma parte do lucro para essa reserva. Pense nela como se fosse um boleto comum e guarde essa quantia. Ela em caso de necessidade evitará que você procure empréstimos a juros altíssimos colocando sua empresa em risco. Se estiver repleto de dúvidas referente ao controle financeiro, separamos aqui um conteúdo especial para você, Resolvendo as principais dúvidas de gerenciamento financeiro.

 

“Concentre-se em uma meta”

Se está tudo desorganizado concentre-se em um dos pontos que está te tirando mais o sono e concentre-se em compreender de onde vem o erro. Os erros sempre vem de gatilhos. O que está causando o gatilho para que essa situação esteja saindo do controle.

 

Lembre-se:

Nunca pare de estudar. Sua empresa é algo vivo, que precisa de manutenção, de conhecimento e de que você pegue na mão e guie pelos caminhos

Para você que se interessou por Gestão Empresarial, talvez esses materiais sejam também muito interessantes:
– Gestão de estoque – Planilha de conferência de estoque.
– Controle de vendas e metas .
– Resolvendo as principais dúvidas de gerenciamento financeiro. Read More

Colocar em prática o gerenciamento financeiro eficiente é um desafio para grande parte dos empresários de nosso país. Por isso com base em alguns estudos, selecionamos aqui as melhores práticas para você conquistar o controle financeiro de sua empresa.

Aqui listamos alguns fatores em que você precisa estar atento para começar ou se certificar que o seu gerenciamento está indo bem. Segue a lista:

 

“Controle”

Certifique-se que o financeiro esteja sendo controlado por uma equipe, e não apenas uma pessoa. Desta forma você conseguirá uma gestão eficaz, com maior dedicação e claro não esqueça de se certificar que esse profissional seja especialista. Isso é muito importante!

 

“Capital de Giro”

Coloque no papel ou no seu sistema financeiro todos os custos da empresa. Despesas fixas e variáveis, impostos, folhas de pagamento, gastos com fornecedores todas devem estar listadas como débitos, o seu faturamento como crédito. O Capital de giro é o que você retira do seu faturamento para cobrir os gastos da empresa. Ele é extremamente essencial para sua empresa não ficar no vermelho. Lembre-se que esse débito acontece todos os meses, então é o mínimo que deve manter seu caixa.

 

“Fluxo de Caixa”

Controlar e acompanhar o fluxo de caixa garantirá que você possa apurar o que a empresa gerou de lucro e recebeu em um determinado período. Essa é uma situação importantíssima pois você controlará um dos principais indicadores de suas vendas necessário para uma empresa se manter de pé: o fluxo de pagamento. Controlar o Fluxo garantirá a você uma política de cobrança mais eficiente e rentável. Não se esqueça, o lucro não é o que entrou no caixa durante o Mês, mas o que sobrou dele após a quitação das despesas da empresa.

 

“Tenha um Sistema Eficiente”

Utilize planilhas, cadernos de anotações ou sistemas inteligentes para acompanhar o financeiro da empresa mesmo que isso demande mais horas de trabalho. Avaliar os resultados todos os meses fará você acompanhar o crescimento da empresa e a como criar metas em cima de resultados que você já tem em mãos, mas principalmente PROFISSIONALIZE! O sistema GE faz verdadeiros milagres na gestão de uma empresa e pelo que percebemos, fará muita diferença na sua realidade atual, vale a pena conhecer.

 

“Cobre”

Como se diz: “Só se deve quem cobra menos.” Não tenha vergonha de cobrar os devedores. São suas suadas moedas que não estão no seu bolso, e o mais justo é que você seja pago por um serviço que prestou, então o que há de errado em cobrar? Não há nada de errado, só não vale esquecer que a cobrança tem a maneira correta de ser feita. Separamos aqui um pequeno passo a passo para você manter as contas em dia e um rápido tutorial de como cobrar clientes inadimplentes.

 

Finalizando: O Controle financeiro não é um mistério, apenas requer paciência e dedicação para que ele esteja sempre organizado e para que você possa estruturar ele de forma que perceba todos os pontos rentáveis ou não ao seu negócio.

Para você que se interessou por conteúdos de Gestão, talvez esses materiais sejam também muito interessantes:

– Controle de vendas e metas.
– 5 dicas para você parar de errar e aumentar a renda da sua empresa.
Passo a passo para você manter as contas em dia e um rápido tutorial de como cobrar clientes inadimplentes.